Sem incentivos públicos, Casa do Estudante de Caicó volta a passar dificuldades

Em Caicó, Histórias, Responsabilidade Social por Redação1 Comentar

CASADOESTUDANTEDECAICO_CAPA

Volta e meia, a Casa do Estudante de Caicó precisa vir à público para assegurar os seus direitos perante o poder público. Mais uma vez, a entidade está passando por sérias dificuldades. Não fosse somente os problemas estruturais, nesta semana, os estudantes foram informados que terão o fornecimento de alimentação suspenso devido a falta de pagamento do Governo do Estado desde o início deste ano.

“O pessoal que fornece a carne alegou que não tinha mais condições de continuar a realizar o abastecimento, pois há seis meses não são pagos. Os alimentos que temos armazenados só devem dar até o fim dessa semana. A Secretaria de Trabalho e Assistência Social (SETAS) nos afirmou que o pagamento foi autorizado, no entanto, não foi liberado pela Secretaria de Planejamento e não sabemos o por quê”, atesta Sidney Figueiredo, presidente atual.

Esta série de “disse me disses” prejudica o cotidiano de quase cem estudantes que dependem destes recursos e que habitam o local. Collecione esteve ontem a tarde (20) na Casa do Estudante de Caicó e conferiu a real situação da entidade. Aos detalhes…

CASADOESTUDANTEDECAICO_01

Nossa visita foi realizada pelo horário de almoço, enquanto alguns estavam se alimentando, outros estudantes nos mostraram a situação de esquecimento que o local se encontra. A última reforma foi realizada em 1994 quando o atual deputado estadual Vivaldo Costa, era governador. Dentre três etapas que deveriam ser efetivadas, apenas duas realmente aconteceram. De lá pra cá, as instalações não sofreram nenhum tipo de reparo ou manutenção.CASADOESTUDANTEDECAICO_04

Neste ano, a Casa do Estudante completará 54 anos. A cada aniversário, novas promessas são feitas e nenhuma, de fato, é cumprida. No ano passado, passando por situação similar a enfrentada hoje, os estudantes comoveram a imprensa local e alguns grupos sociais, realizando uma campanha de arrecadação de itens domésticos e alimentos com bastante repercussão na região.

O fato despertou a atenção de alguns políticos que chegaram a visitá-los, porém, nenhuma ação salutar foi desenvolvida tendo o incentivo público como intermediador. “Estou quase entregando o cargo, não fosse pelo grupo Sala de Reboco, pela imprensa representada por Marcos Dantas e Gláucia Lima, assim como outras pessoas que nos ajudam, eu já teria desistido de lutar, mas devo muito do que sou à Carta do Estudante e como agradecimento ao que me tornei continuarei esta luta”, desabafa Sidney.

Ainda em 2013, um engenheiro a mando de um determinado político – o qual a Casa não quis mencionar devido o presente ano eleitoral – visitou o local para elencar os trabalhos que precisavam ser realizados. Em um primeiro olhar, Sidney nos contou que o profissional afirmou que praticamente toda a estrutura está comprometida, o que pode ser comprovado pelas imagens a seguir.

CASADOESTUDANTEDECAICO_02

“Não é só a de Caicó. Em Natal, Mossoró e Jucuturu, a situação é similar. Começamos o ano com 110 sócios, atualmente contamos com 91. Diante da situação periclitante, o pessoal foi abandonando a Casa. Precisamos de apoio, mas confio em Deus e sei que há de aparecer algum político que faça a devida intermediação para assegurar os nossos direitos”, pondera Sidney.

CASADOESTUDANTEDECAICO_03

Apesar de todo o desgaste, os próprios estudantes buscam alianças para melhorar as condições da entidade. O presidente Sidney nos confidenciou que todo esse empenho está centrado no desejo de retribuir tudo o que a Casa representa aos seus moradores. “Queremos deixá-la melhor do que quando a encontramos, mas pra isso precisamos dos políticos da cidade, da região e do estado”, conclui.

Enquanto os representantes da classe política “fecham os olhos” para a Casa do Estudante de Caicó, existe uma mobilização intensa de pessoas comovidas com o tamanho descaso que se faz presente na entidade. Diante da nossa responsabilidade social como veículo de comunicação, a Collecione continuará a acompanhar o caso. Aproveitando o ensejo, caso desejem ajudar, podem ir até a sede da própria Casa do Estudante ou entrar em contato com o grupo Sala de Reboco através da página virtual no facebook.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
RedaçãoSem incentivos públicos, Casa do Estudante de Caicó volta a passar dificuldades
  • Simone Fernandes

    Meus Parabéns pela iniciativa do Sr. Sidney Figueiredo, que em forma de gratidão se empenha para melhorar a CASA DO ESTUDANTE CAICÓ, se cada um de nós fizéssemos um pouquinho que seja para colaborar de alguma forma para o desenvolvimento da educação, principalmente nossos políticos a quem elegemos e confiamos nossos votos, na intenção de melhores condições, na educação, saúde, transportes e etc…, o nosso país com certeza seria muito melhor.