igrejasclimatizadas_caicorn

Como o calor de Caicó influencia até as Igrejas da cidade

Em Caicó, Novidades por RedaçãoDeixe um comentário

Altas temperaturas, sol escaldante, ausência de chuvas… O que poderia ser um roteiro perfeito para o verão, acaba sendo realidade o ano inteiro para nós que vivemos em Caicó. Não raramente figurando nas listas de cidades mais quentes do país, nunca é demais lembrar que já recebemos até gravação de comercial de famosa marca de cerveja, pela temperatura acima da média.

O que pode causar prejuízos para uns, acaba sendo fonte de lucros para outros, como as lojas de eletrodomésticos, por exemplo. É que para resistir ao calor, os caicoenses têm colocado a mão no bolso, e a compra de condicionadores de ar, seja para empresas ou residências, tem esquentado as vendas.

Depois de salas de aula, lojas, escritórios e restaurantes, a climatização parece virar uma tendência até nas principais igrejas da cidade. É o que admite o Padre Ivanoff Pereira, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, que dias atrás realizou a compra dos aparelhos para a matriz do Bairro Vila do Príncipe, sonho antigo da comunidade, e defende o uso dos mesmos, argumentando que “aumenta o conforto e melhora a acomodação de fiéis e celebrantes, além de reduzir o barulho externo, impedindo que a celebração seja prejudicada”.

igrejasclimatizadas_caicorn_02

Além da principal igreja da zona norte, outras duas matrizes já contam com os climatizadores. É o caso da matriz de Santo Estevão Diácono, no Bairro Castelo Branco, onde o serviço já funciona há algum tempo, e a matriz de São José, no Bairro Paraíba, onde o funcionamento dos aparelhos aguarda adequações na rede elétrica do templo, fazendo com que metade das paróquias da cidade já disponham da tecnologia.

igrejasclimatizadas_caicorn_01

Para uma terra quente, na temperatura e no calor humano, um copo de água gelada não bastará para amenizar o calor, nem na hora da oração.

Por Augusto Maia
Fotos Fred Costa

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
RedaçãoComo o calor de Caicó influencia até as Igrejas da cidade