COMÉRCIO TEMPORÁRIO no aguardo da segunda semana da Festa de Sant’Ana

Em Caicó, Cultura, Economia/Negócios, Gastronomia por RedaçãoDeixe um comentário

Os dez dias de Festa de Sant’Ana são ansiosamente aguardados por toda uma nação, ainda assim existe um período de pico, mais precisamente mensurado na segunda semana de sua realização. Nesta determinada ocasião vigoram grandes feitos em relação ao consumo do comércio temporário e especialmente idealizado para a temporada da Festa.

COMERCIOTEMPORARIO_FESTADESANTANA_CAPA

Ao total são cinco dias de intensa movimentação. A começar pela noite de quarta, véspera de feriado, onde na quinta acontece a realização da tradicional Feirinha de Sant’Ana até o domingo que marca a finalização das festividades com a procissão de encerramento.

Até a noite desta terça-feira, 22 de Julho, os comerciantes da Ilha de Sant’Ana estavam otimistas em relação aos resultados das vendas deste ano, como é o caso de João de Sousa, proprietário da tradicional barraca Supapo, especializada em tiro ao alvo. “Até ontem, o movimento foi fraco, mas as vendas começam a melhor mesmo a partir de hoje”, afirma João, atuante no ramo há cerca de 15 anos.

Para tentar a sorte, o cliente desembolsa R$ 4 por vez, tendo direito a quatro tiros direcionados nos produtos dispostos nas prateleiras. A prática é corriqueira e perdura há décadas dentre as principais tradições locais.

COMERCIOTEMPORARIO_FESTADESANTANA_01

João de Sousa e Klébson Dantas, respectivamente, na Barraca Supapo, especializada em tiro ao alvo.

Ao lado da diversão da barraca Supapo, existe a gastronomia diversificada da Max Lanches. De pratos regionais como mugunzá, costela e mocotó até batatas fritas e cachorros quentes, o vendedor Jeferson Nascimento nos contou que diretamente de Patos/PB para reforçar a equipe da empresa e assim participa de sua primeira Festa de Sant’Ana.

“Estamos na expectativa do aumento no movimento de amanhã em diante”, aponta.

COMERCIOTEMPORARIO_FESTADESANTANA_02

Jeferson Nascimento, da barraca Max Lanches, preparando as opções da gastronomia típica local.

Mais a frente, encontramos um dos ícones da estação, o tradicional sorvete no casquinho. Uma refrescante mistura de gelatina, leite e essência de morango. Diretamente de Campina Grande/PB, a paraibana Rosilene Ferreira nos confidenciou que participa da Festa de Sant’Ana há três anos.

“Também faço junto a outros colegas de trabalho, outras festas de padroeira na região, mas todos os anos buscamos estar por aqui”, ressalta.

COMERCIOTEMPORARIO_FESTADESANTANA_03

Rosilene Ferreira preparando o famoso sorvete de casquinha da Festa de Sant’Ana.

E nesse embalo, a Festa de Sant’Ana se consolida mais um ano como um dos principais incrementos na economia local da região Seridó.

COMERCIOTEMPORARIO_FESTADESANTANA_05

Um dos espaços gastronômicos da Ilha de Sant’Ana por volta das 18h, desta terça-feira, 22 de Julho.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
RedaçãoCOMÉRCIO TEMPORÁRIO no aguardo da segunda semana da Festa de Sant’Ana